22 de fev de 2011

Em homenagem à nossa nova passagem.. rsrs

Editado e postado por º..keka..º 0 comentários Dicas
O bebado entra no ônibus,olha,olha...

e pergunta:
-Quanto custa essa porra aqui???????
o cobrador imediatamente responde:
-Custa R$ 2,40
e o bêbado exclama:
então manda todo mundo descer que eu vou comprar!!!

Nova categoria no blog

Editado e postado por º..keka..º 0 comentários Dicas
A pedidos, selecionei as dicas de relacionamento que posto no blog, em uma categoria isolada, ou melhor especial: Divã.
Assim fica mais facil localizar...

Beijo meu
Keka.
;D

7 pecados, que destroem namoros e casamentos

Editado e postado por º..keka..º 0 comentários Dicas
Aprendi os pecados mortais dos namoros e casamentos, como reconhecê-los e evitá-los.
Aqui listo os 7 principais:

1. Ressentimento.
Esse é um veneno que começa pequeno (”Ele não substitui o rolo de papel higiênico” ou “Ela não lava o prato depois de comer”) e vai crescendo até ficar enorme. Ressentimento é perigoso porque geralmente fica abaixo do nosso radar, de modo que não percebemos que estamos ressentidos, e nosso parceiro não entende que há algo errado. Se você já se pegou tendo ressentimento, precisa endereçá-lo rapidamente, antes que fique pior. Corte-o pela raiz enquanto ainda é pequeno. Há duas boas maneiras de lidar com ressentimento. A primeira: respire fundo e simplesmente deixe o sentimento ir embora - aceite seu parceiro como ele é, incluindo as falhas (ninguém é perfeito). A segunda: fale com seu parceiro sobre isso, se não dá para aceitar, e tente vir com uma solução que funcione para ambos (não só para você). Tente falar sem confrontar e sim de um jeito que expresse como você se sente sem ser acusatório.

2. Ciúmes.
É difícil controlar o ciúme se você o sente, eu sei. Ele parece acontecer por si mesmo, fora do nosso controle. De qualquer forma, o ciúme - assim como o ressentimento - é um veneno para a relação. Um pequeno ciúme tudo bem, mas quando chega a um certo nível de necessidade de controlar o seu parceiro, ele se transforma em brigas desnecessárias, que deixam ambos infelizes. Se você tem problemas com ciúmes, em vez de tentar controlá-lo, é importante que você examine e faça um acordo com a raiz do problema, a insegurança. Essa insegurança pode estar ligada a sua infância (como abandono dos pais, por exemplo), num relacionamento anterior em que você se feriu, ou em incidentes passados do seu relacionamento.

3. Expectativas não realistas.
Frequentemente nós temos uma idéia de como nosso parceiro deveria ser. Nós esperamos que sejam limpos, ponderados, que sempre pensem na gente primeiro, que nos surpreenda, nos suporte, que sejam sempre sorridentes, que trabalhem duro e não sejam preguiçosos. Não necessariamente essas expectativas, mas quase sempre temos expectativas para nossos parceiros. Ter alguma expectativa é bom - nós deveríamos esperar que nosso parceiro seja confiável, por exemplo. Mas alguma vezes, sem perceber, nós criamos expectativas muito altas para acontecer. Nosso parceiro não é perfeito - ninguém é. Não podemos esperar que eles sejam carinhosos e amorosos a cada minuto de cada dia - todo mundo muda de humor. Não podemos esperar que eles sempre pensem na gente, já que eles obviamente vão também pensar neles ou em outros alguma hora. Não podemos esperar que eles sejam exatamente como nós somos, já que cada um é cada um. Expectativas muito altas levam a desapontamento e frustração, especialmente se não comunicamos ao outro essa expectativa. Como podemos esperar que nosso parceiro atinja essas expectativas se eles nem sabem sobre elas? O remédio é baixar nossas expectativas - deixar nossos parceiros serem eles mesmos, e aceitá-los e amá-los por isso. As expectativas básicas que nós mantivermos devem ser comunicadas claramente.

4. Não ter tempo.
Esse é um problema de casais que tem filhos, mas também de outros casais que são pegos pelo trabalho, hobbies, amigos e famílias ou outras paixões. Casais que não passam tempo sozinho juntos criam um abismo entre si. E embora passar tempo junto quando você está com filhos, amigos ou família seja bom, é importante também passar algum tempo juntos e sozinhos. Não consegue achar tempo com todas as coisas que estão acontecendo - trabalho, filhos e outras coisas? Crie tempo. É sério, crie tempo. Isso pode ser feito. Eu faço isso - simplesmente tenho certeza de que essas horas com meu parceiro é uma prioridade, e eu adio qualquer coisa para ter esse tempo. Contrate uma babá, cancele alguns compromissos, adie o trabalho por um dia, e saia com ele. Não precisa ser uma saída cara - algum tempo na natureza, fazendo exercícios juntos, assistindo a um filme e tendo um jantar a dois, todas são boas opções. E quando vocês estiverem juntos, faça um esforço para se conectarem, não apenas estarem juntos.

5. Falta de comunicação.
Esse pecado afeta todos os outros nesta lista - ele foi dito muitas vezes antes, mas é verdade: boa comunicação é fundamental para um bom relacionamento. Se você tem ressentimento, você deve conversar sobre isso em vez de deixar o ressentimento crescer. Se você é ciumento, você deve abrir o jogo e ser honesto ao expor sua insegurança. Se você tem expectativas, deve dizê-las ao seu parceiro. Se existem problemas, vocÊ deve dizer e trabalhar para solucioná-los. Comunicação não quer dizer apenas falar ou brigar - a boa comunicação é honesta sem ser acusatória. Comunique seus sentimentos - frustração, desculpa, medo, tristeza, alegria - em vez de criticar. Comunique um desejo para trabalhar em uma solução que funcione para ambos, um compromisso, em vez de uma necessidade de fazer o outro mudar. E comunique mais do que apenas problemas - comunique também as boas coisas.

6. Não demonstrar gratidão.
Algumas vezes não existem problemas reais em um relacionamento, como ressentimento, ciúme ou expectativas altas, mas há também a não-expressão de coisas boas relativas ao seu parceiro. Essa falta de gratidão e apreciação é tão ruim quanto os demais problemas, porque sem ela seu parceiro vai sentir que você está com ele por compaixão. Toda pessoa quer ser apreciada pelo que faz. E apesar de você poder ter alguns problemas com o que seu parceiro faz, você deveria também realizar que seu parceiro também faz coisas boas. Ele lava os pratos ou cozinha algo que você gosta? Ele lhe ajuda ou dá suporte no seu trabalho? Tire um tempo para dizer obrigado, dê um beijo e um abraço. Essa pequena atitude pode levar a um belo caminho.

7. Falta de afeto.
Similarmente, tudo o mais pode estar indo bem, incluindo a expressão de gratidão, mas se não existe afeto entre os parceiros então há um sério problema. Com efeito, o relacionamento está indo em direção a um amor platônico. Isso pode ser melhor do que muitos relacionamento com problemas sério, mas não é uma coisa boa. Afeto é importante - todo mundo precisa de um pouco, especialmente vindo de quem amamos. Tire um tempo, todo santo dia, para dar atenção ao seu parceiro. Faça festa quando ele ou ela chegar em casa do trabalho, dê um grande abraço. Acorde-o com um beijo apaixonado (quem liga pra o hálito!). Chegue por trás e dê um beijo no pescoço. Massageie suas costas enquanto ele vê TV. Sorria sempre.

8. Pecado bônus: Teimosia.
Essa não estava na lista original, mas só pensei nela justo agora e não podia deixar de fora. Todo relacionamento terá problemas e discussões - mas é importante que você aprenda a resolvê-los depois de baixar a guarda um pouco. Infelizmente, muitos de nós são tão teimosos até para falar sobre. Talvez nós sempre queremos estar certos. Talvez nós nunca queremos admitir que cometemos um erro. Talvez nós não gostemos de pedir desculpas. Talvez nós não gostemos de nos comprometer. Eu já fiz todas essas coisas - mas aprendi depois de todos esses anos que isso é apenas criancisse. Quando eu me pego sendo teimoso atualmente, tento superar essa infantilidade e deixar meu ego de lado e pedir desculpas. Falamos sobre o problema e tentamos solucioná-lo. Não tenha medo de ser o primeiro a pedir desculpas. Depois deixe isso no passado e vá para as boas coisas.

Dê atenção a si mesmo.

Editado e postado por º..keka..º 0 comentários Dicas
22/02/2011

É comum, nos dias de hoje, lermos muitos livros que enfatizam a autoestima. O assunto está cada vez mais em pauta.
É notada uma urgência na conscientização para que as pessoas reaproximem-se delas mesmas, aprendam a viver com mais equilíbrio, afetando a si e àqueles com quem convivem.
São oferecidas inúmeras ferramentas para que essa conscientização comece a implantar seus efeitos. Informações acessíveis em todos os meios de comunicação, terapias de todo gênero, produtos na área estética e alimentar, dentre tantos outros.
Não podemos negar de que temos acesso às informações de que necessitamos para começar a refletir sobre o que andamos fazendo de nossa própria vida... Para onde estamos conduzindo nosso corpo, nossa mente e emoções?
Por vezes, adotamos um ritmo acelerado de vida, que não nos permite tempo para olharmos para nós. Olharmos verdadeiramente, não de forma superficial, como por vezes fazemos.
E onde, eu pergunto, entra a auto-sabotagem nesse processo? Em que ocasião, nossos conjuntos de crenças nos permitiram escolher um método de vida opressivo e de negação às nossas principais necessidades? Você já parou para notar quais são suas verdadeiras necessidades e se elas vêm sido atendidas? Ou, você tem vivido sua trajetória como um verdadeiro mártir, realizando os desejos dos outros e negando àqueles que vêm ao seu coração?
Exercitar a autoestima é prática diária. Entre em contato com os sinais que seu corpo, sua mente e coração têm tentado lhe passar há tanto tempo. Pergunte-se:
- Como anda sua saúde, seu sono, seu prazer na vida?
- O que é necessário mudar para entregar mais leveza ao seu cotidiano?
- A que crenças, você ainda continua apegado, que não lhe permite relaxar?
- O que é necessário para relacionar-se melhor com o meio em que vive?
- Se você anda projetando suas carências de afeto consigo mesmo para aqueles que fazem parte de seu ciclo social?

Largando as culpas
É importante paramos de culpar e transferir responsabilidades para as nossos chefes, familiares ou amigos por tudo o que nos aconteceu e acontece na vida. E obviamente: pararmos de nos culpar, pegar leve conosco quando algo não vai bem!
O vitimismo das pessoas é muito grande, constato isso com meus clientes em terapia, a maior parte têm uma lista de queixas e as relata com muita ênfase e "valor".
São capazes de chorar suas dores desde a infância novamente e não são capazes, por vezes, de sozinhos, largarem seus conjuntos de crenças e memórias tristes do passado. Ficaram apegados literalmente à elas.
O passado, como o próprio nome diz, já passou. É preciso focar os olhos no momento de agora, saber que crenças podem ser destituídas e constituídas a cada momento e que é preciso definir um novo projeto de vida, um projeto que nos traga saúde, equilíbrio e paz. Sabermos que é somente dessa forma que também nosso relacionamento com o mundo melhora, pois estamos dando "atenção" a nós mesmos, percebendo nossas insuficiências e preenchendo a cada uma delas, para que de forma total conosco, sejamos também "totais" com os outros.

Fernanda Lopes é terapeuta holística, palestrante motivacional, escritora e presidente da ONG - Associação Voluntários da Esperança.
Para mais informações, acesse: http://www.terapiasequilibrio.com.br/

Fonte: Minha vida

20 de fev de 2011

No divã.

Editado e postado por º..keka..º 0 comentários Dicas
20/02/2011

Tenho percebido, o quanto algumas pessoas (mulheres) tem vindo aconselhar-se comigo ultimamente, por achar que sou "diferente" das outras em relação ao mal necessário à todas nós: os homens.
O que converso, e os conselhos que dou, nada mais são do que experiencia propria de vida, e a minha busca pela evolução pessoal.
Depois que passei as poucas e boas, que a vida fez questão de esfregar na minha cara o que os meus olhos não queriam ver, eu comecei a analisar situações, momentos, e atitudes minhas que levavam a tais consequencias, que resultavam em meu proprio sofrimento.  E resolvi mudar, ou melhor, melhorar. Me amar, me cuidar, não só da aparencia, mas do meu coração; pisar com cuidado nas vigas que sustentam a minha vida, por meus interesses em primeiro lugar.

1) Mulher não pode correr atras de homem.
Não deve ligar, nem mandar mensagem. É claro que um pouco de atenção é essencial, mas tem coisas que sufocam. Coloquem-se no lugar dele. Imagina um cara te ligando a cada 5 min, te chamando de tchutchuquinha, lindinha, bebezinha. nenem, amor, paixão, meu bem... dizendo q ta com saudade, que vc é muito importante,que depende de vc pra viver...
Eu não aguentaria 2 minutos ao lado dele. Mandaria ir passear. Mas, sem pensar duas vezes!!
O mesmo acontece com homens, e 50 vezes pior do que vc pode imaginar... existem limites em uma relação e os dois devem respeitar isso.

2) Pra que tanta cobrança?
Onde vc tava? Porque não me ligou mais cedo? Quem eram as pessoas que estavam com vc lá na casa do fulano? Vc já vai sair de novo?
Se depois de tres frases dessas, ele não estiver a 5 km de vc, é pq ele é um possessivo, que fará o mesmo, e até pior com vc. Relacionamentos assim não duram muito tempo, não estão embasados em confiança e principalmente respeito, como eu disse no topico anterior, obedeça os limites da relação. Cada um deve ter seu espaço, sua privacidade, e assim chegamos ao proximo topico:

3) Não mexa em nada dele.
Celular, carteira, gavetas, porta-luvas no carro... não fique procurando nada. Se vc encontrar, eu disse SE (pq homens quando querem são otimos dribladores) vc vai ficar muito chateada, e ele ainda vai te culpar pelo termino do relacionamento, caso haja um termino, já que as mulheres tem um enorme coração e são capazes de perdoar erros imperdoáveis; Um erro!!! Erros podem ser perdoados, mas não pode-se agir como se não tivesse acontecido nada. Como acontece na maioria das vezes. O cara te sacaneia, e vc tá lá... toda apaixonadinha, e ainda comentando com a amiga "ah, ele não fez por mal... todo mundo erra, ele merece uma segunda chance" Merece o cacete. Manda esse filho-da-mãe ir arranjar outra trouxa... ou faça com que ele rasteje aos seus pés te pedindo perdão. So te digo uma coisa, a probabilidade de alguem cometer o mesmo erro, é 2 em 3... então.. fique de sobreaviso.

4) Saiba o que vc quer da sua vida.
Decida o que quer. Decida quem vc quer. Decida como vc quer ser tratada. 
Existem homens espalhados pelos 4 cantos da terra, e todos podem interessar-se por vc. Basta que vc, se interesse por si mesma primeiro.
Homens amam mulheres que se amam. Que se valorizam, e não acham que a qualquer momento podem perder pra qualquer uma outra.
Se ele tá com vc, é pq ele gosta de vc!!!
Vc deve ter algo que o encantou. Coloque isso na sua cabeça!!

5) Viva a sua vida em primeiro lugar.
O resto, é lucro.
Se vc coloca seus interesses em primeiro lugar, ele sem duvida virá ate vc.
É como um imã.
Já percebeu, que quando vc está fazendo algo, e está muito entretida, ele vem por tras de vc, e beija sua nuca ou seu rosto. Vc o beija e retorna à sua atividade anterior... Isso o deixa cismado, e encantado.
Agora, se vc para tudo, e vai la ficar com ele, logo ele arranja outra coisa pra fazer e deixa vc no canto.
Não estou falando, de forma alguma, pra vc não dar atenção, só digo que suas atenções devem ser primeiramente voltadas a si mesma, depois a ele.

P = Depois de ler isso aqui, o que vc vai fazer? 
R = Pensar duas vezes antes de entrar em crise, pq ele não ligou ou não deu noticias. Vá fazer algo. Algo que te faça feliz. A sua felicidade depende exclusivamente de vc. !!

Beijo meu,
Keka.
 

º:..coisas da keka..:º Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare